,

Para o fim da AIDS, pastor defende matar gays e bissexuais

Steven Anderson é pastor de uma igreja evangélica no Arizona

 
 (Pastor Steven Anderson)

Sodomia é o nome que a Bíblia dá para essa categoria que abrange gays e bissexuais”, afirmou o pastor americano Steven Anderson (foto), na igreja evangélica Faithful Word Baptist, no Arizona.
Ao ler um trecho do livro Levíticos, ele diz que Deus condena a homossexualidade e o extermínio de gays seria a garantia de um mundo livre da Aids.

O sermão proclamado pelo pastor no dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate a Aids, é polêmico. Ele defendeu que o genocídio do grupo LGBT é a melhor forma de combater o vírus, já que, segundo ele, “estatísticas mostram que 90% dos infectados são gays”. A plateia chegou a rir em algum momento do discurso, ao que ele respondeu que “bichas não são aceitas em sua igreja”.

Ainda segundo Steven Anderson, Deus condena a homossexualidade e a Bíblia diz que “se um homem se deitar com outro, como se este fosse uma mulher, os dois estarão cometendo uma abominação: eles serão levados à morte e seu sangue cobrirá seus corpos”. Por causa disso, o pastor acha que a Aids pode ser quase que destruída da Humanidade, pois “assim Deus quer”.

Anderson ainda afirmou que todos os gays são pedófilos e que odiar e condenar a homossexualidade é amar a Deus e praticar o cristianismo.

O pastor é reconhecido por seu discurso de ódio. Em 2009, ele disse publicamente que odiava o presidente negro eleito, Barack Obama, e rezou para sua morte e sua ida “ao inferno”. Ele ainda condena as mulheres que usam pílula anticoncepcional, dizendo que todas elas são “prostitutas com o sangue verde”.

Fonte: Terra